Correr ou não correr: Eis a resposta

Orientação

Todas as manhãs tens uma decisão a tomar. Este pequeno conselho vai ajudar-te a tomar a decisão certa.

Última atualização: 11 de novembro de 2020
Devo realmente correr hoje? Vê como saber

É possível que te tenha começado a doer o calcanhar ontem. Ou os teus gémeos ainda estão doridos do passeio de bicicleta de domingo que foi mais longo do que o esperado. Talvez te apeteça fazer uma corrida de 20 km, mas já não tiras um dia de folga há várias semanas. Por outro lado, com as exigências do trabalho e da casa, os teus níveis de stress estão muito elevados.

Existe um milhão de motivos para te questionares se deves ou não ir correr. Eis uma forma de te ajudar a encontrar a resposta: "Tens, efetivamente, de escutar o teu corpo", afirma o Chris Bennett, Global Head Coach da Nike Running. A resposta pode depender de se os teus músculos estão apenas ligeiramente fatigados ou mesmo exaustos, ou se uma corrida pode ser uma forma de arejar a cabeça ou simplesmente mais uma tarefa num dia stressante que vai aumentar a ansiedade.

Saber ouvir requer um processo de aprendizagem através de tentativa e erro, mas conheceres-te a um nível tão profundo é a parte recompensadora do running, afirma a Marielle Hall, corredora olímpica profissional de longas distâncias e atleta Nike.

"Saber quando é preciso tirar um dia de folga ou quando é preciso descansar pode ser tão importante como um recorde pessoal ou um treino excelente", explica. "Desenvolves intuição em relação ao teu corpo e consegues distinguir o desconforto de uma dor provocada por uma lesão." É esse autoconhecimento que pode melhorar a qualidade da tua corrida, afirma Hall. Não estás a ser forçado a descansar devido a uma lesão ou desgaste. Estás a controlar a situação, a fazer uma escolha, uma escolha que pode tornar-te mais forte no futuro.

A mudança simples

Se estiveres a debater-te sobre fazer ou não uma corrida, pergunta-te, "Como é que esta corrida me vai fazer sentir?"

É este o conselho da Shalane Flanagan, que participou nas olimpíadas por quatro vezes e é treinadora do Bowerman Track Club. "Se correr for um motivo de aumento de stress, se sentes alguma dor ou se não vai fazer com que o teu dia seja melhor, a resposta é: hoje não é dia de correr", afirma.

Flanagan, que recuperou recentemente de duas cirurgias ao joelho, afirma que faz esta pergunta a si própria com frequência. "Tenho de ler os sinais e ter uma conversa honesta comigo própria."

Honestidade significa também saber se vais falhar uma corrida porque te sentes em baixo, afirma Bennett. Se for esse o teu caso, ele recomenda que digas para ti que vais sair apenas cinco minutos. Podes sempre parar. Podes caminhar. No entanto, também podes chegar à conclusão de que o mais difícil foi começar e que uma corrida de 30 minutos era precisamente aquilo de que estavas a precisar.

Se fores mais do tipo A, daqueles corredores que se obrigam a ir correr, presta atenção a esta mensagem do Brett Kirby, doutorado e cientista de desempenho humano do Nike Sport Research Lab.

"O objetivo é que desenvolvas uma relação agradável com a corrida, não uma relação agressiva do tipo: vou correr muitos quilómetros a todo o gás e depois enfiar-me num buraco do qual não consigo sair no dia seguinte", explica Kirby. "Isso é apenas intensidade pela intensidade e não me parece que esse tipo de atitude garanta muito sucesso."

"Tenho de ler os sinais e ter uma conversa honesta comigo própria."

Shalane Flanagan
Participou nas olimpíadas por quatro vezes e é treinadora do Bowerman Track Club

Mais sugestões para que continues a evoluir

01. Aprende com os teus erros.
Fizeste uma corrida longa depois de uma má noite de sono e correu muito mal? Foca-te na conclusão: já sabes que da próxima vez tens de ajustar a tua agenda. Como explica o Kirby: "Sentirmo-nos culpados por falhar um dia ou por fazer uma má corrida tem ainda mais efeitos negativos. É mais benéfico aceitar, aprender e seguir em frente."

02. Experimenta algo diferente.
Se o teu corpo ou a tua mente não estão preparados para uma corrida, faz alguns exercícios de levantamento de pesos, ioga ou uma longa caminhada, afirma o Derek Samuel, fisioterapeuta licenciado e membro do Nike Performance Council. O cross-training pode ajudar a preparar o teu corpo para a próxima corrida, explica. É igualmente importante que evites qualquer tipo de associação negativa à corrida.

03. Ajusta o teu plano.
Lembra-te de que a recuperação não significa não correr, afirma Bennett. Uma corrida pode ser uma experiência muito catártica a nível mental e uma boa forma de libertar o stress e a tensão acumulados. Obviamente, poderá não ser com a corrida de velocidade ou corridas intervaladas exigentes que tinhas planeado. "O objetivo é evoluir e por vezes evolui-se ao fazer alguns ajustes", afirma Bennett. "Existe um número interminável de formas de fazer uma corrida, mais curta, mais lenta, numa superfície mais plana, e todas elas podem garantir ao teu corpo e à tua mente a corrida de que precisas."

04. Deixa algo para depois.
"Se abusas, isso muitas vezes tem um preço", alerta Samuel. Ele explica aos seus clientes que não há problema em ir para a cama a pensar "Tenho de fazer mais". "Isso vai estimular a tua vontade", explica Samuel, "em vez de pensares, hoje realmente abusei e sinto-me pessimamente."

Histórias relacionadas

Dorme melhor esta noite para correres melhor amanhã

Orientação

Dorme melhor esta noite, corre melhor amanhã

Torna-te mais forte, corre mais rápido e vai mais longe

Orientação

Como pensar como um treinador de running

Dicas de alimentação saudável para corredores que realmente funcionam

Orientação

Dicas de alimentação saudável para corredores

Os melhores movimentos para aumentar a força e melhorar cada corrida

Orientação

Um movimento de força para ajudar a melhorar cada corrida

A sugestão de treino de que todos os corredores necessitam

Orientação

A sugestão de treino de que todos os corredores necessitam