....
Nike Football
In Julie Ertz’s Own Words

Nas palavras da Julie Ertz: "Acredito nesta equipa"

"Saí de casa para jogar futebol na Universidade de Santa Clara. Foi aí que me apaixonei pela modalidade. Senti uma paixão ainda mais forte do que alguma vez poderia imaginar. Em 2012, fui ao Japão com a equipa de sub-20 para jogar nos campeonatos mundiais. Fui capitã e isso permitiu-me ver o desporto de uma forma completamente diferente.

As raparigas da nossa equipa foram tão incríveis e a sensação de usar as cores da nossa nação, especialmente tão longe de casa, foi fantástica. E, claro, conquistámos tudo o que havia para conquistar. Não há nada melhor do que vencer um campeonato, independentemente do nível. Além disso, é algo viciante. Quando o entusiasmo em relação à vitória começa a desaparecer, senti que tinha de o fazer novamente. O mais rápido possível. Acima de tudo, não podemos tomar nada como garantido.

Antes desses 90 minutos finais, existe trabalho árduo, altos e baixos e muitos outros desafios.

In Julie Ertz’s Own Words

Penso que algumas pessoas, que não fazem parte da seleção nacional, olham para a nossa equipa e acham que temos hipótese de ganhar só por participarmos nos campeonatos mundiais. No entanto, as probabilidades são tão baixas e todas as sessões, todos os treinos e todas as lições táticas importam. Foi o que aprendi quando fui convocada para o meu primeiro estágio em 2013. Este ano, as atenções também estão voltadas para a nossa equipa. Lembro-me de ter essa sensação antes dos campeonatos, em 2015. Podemos chamar-lhe uma crença. É algo que se assemelha a um dos meus lemas favoritos:

In Julie Ertz’s Own Words
In Julie Ertz’s Own Words

Para mim, tudo se resume a isso. É óbvio que qualquer equipa é um conjunto de indivíduos. Mas somos todas diferentes. É isso que nos torna fortes. E vamos para França este verão numa missão. Mal posso esperar por lá chegar. Quero ver os estádios. Quero ver os nossos fãs. Quero ouvir novamente o hino "Star-Spangled Banner" no palco mundial.

Sempre que ouço o hino antes dos nossos jogos, quer seja uma partida amigável ou uma final, o sentimento é o mesmo: gratidão. Estou grata ao meu pai, à minha mãe e à minha irmã. Estou grata ao meu marido, Zach, e aos nossos amigos e familiares pelo papel que desempenham na minha vida. E estou grata por algo que considero igualmente importante: a oportunidade de envergar o Vermelho, o Branco e o Azul e representar o nosso país. Quando o hino está a terminar, olho para os fãs, começo a mexer um pouco as pernas e preparo-me para entrar em ação.

Quando o hino termina, é altura de acreditar."

In Julie Ertz’s Own Words

Sonha connosco

Sonha com a Julie e com toda a seleção nacional dos EUA durante o campeonato mundial deste verão com o equipamento para adeptos mais recente.